quinta-feira, 30 de junho de 2011

TERRIBLE TWOS!!!

Postado por Ssanylu às 12:19 0 comentários Links para esta postagem
Era Uma Vez... Birras e Lágrimas aos 2 e 3 anos de idade

Um longo caminho foi percorrido desde o bebé indefeso se tornar numa criança de 3 ou 4 anos, relativamente independente e pronta para ir para o jardim-de-infância. É uma viagem fantástica de descoberta – mas também pode ser um percurso por vezes difícil para si e para o seu filho.À medida que as crianças se aproximam do seu segundo aniversário, começam a querer fazer parte de tudo o que se passa à sua volta – explorando e brincando, observando e imitando os outros, usando as suas primeiras palavras. Começam também a sentir pela primeira vez que são uma pessoa, dentro de um mundo fascinante cheio de outras pessoas, e querem fazer parte desse mundo.

Como é ter 2 ou 3 anos?

O seu filho de 2 anos está a descobrir todas as coisas que não pode ou não deve fazer, vivendo numa constante batalha entre os seus intensos desejos, vontades e medos. E vai sentindo certas coisas que não consegue ainda manejar sem ser através de birras ou choros. A criança de 2 anos está ainda a descobrir quem é, e aquilo que sente acerca das pessoas que o rodeiam e que cuidam dele – porque é que, afinal, as adora num momento, para os odiar logo a seguir. E as crianças de 2 anos ainda não sabem simplesmente pedir ajuda… em vez disso, bombardeiam os adultos com pedidos contraditórios, que apenas reflectem o quão confusos e indefesos se estão a sentir.

A criança “mandona”

Algumas crianças têm dificuldade em sentir-se pequeninas e indefesas. Recusam-se a aceitar que existem certas coisas com as quais ainda não conseguem lidar – e tornarem-se “mandonas” pode funcionar como um truque para encobrir esta dificuldade e fazer os outros sentirem-se pequenos.Por vezes conseguem ser tão convincentes que, como pais, parece que às vezes nos convencem que não precisam de nós. Mas a criança de 2 anos, “mandona” e autoritária, precisa mesmo muito de quem lhe dê amor e cuidado, mesmo quando parece não precisar dele

A criança “birrenta”

Muitas crianças de 2 e 3 anos desenvolvem todo o tipo de manias e rituais, nas quais insistem absolutamente. Do ponto de vista de um pai, estas manias podem parecer disparatadas e quase tirânicas! Mas para a criança pequena, o que significam?Toda as pessoas que a rodeiam esperam que a criança pequena deixe de ser um bebé e que se torne mais independente. Mas a criança pode sentir que os crescidos estão sempre a interferir e a mandar nela. Quando insiste em vestir alguma coisa estranha, ou em fazer as coisas numa determinada ordem, pode estar simplesmente a tentar fazer os pais reconhecer que ela também tem as suas escolhas e as suas preferências.Por vezes, pode ser útil ceder naquelas coisas pequenas que realmente não têm importância. É também uma forma de ensinar às crianças como às vezes se pode ser flexível. E não vão faltar ocasiões em que a criança queira fazer alguma coisa impossível ou realmente perigosa – aí terá oportunidade para lhe ensinar acerca do “não”, para além de poder “praticar” o lidar com as suas lágrimas…As birras por vezes estão ligadas a preocupações ou anseios para os quais a criança não consegue simplesmente arranjar palavras, e por isso não pode falar sobre isso com os pais. E quando quer a todo custo evitar certos objectos ou situações, talvez seja apenas uma forma de procurar controlar os seus medos
De facto, aquilo que realmente preocupa a criança pode não ter nenhuma ligação óbvia com as coisas sobre as quais está a fazer uma birra – mas é mais fácil procurar controlar aquilo que a mãe lhes põe no prato, do que certas ansiedades que não compreende...Este tipo de “birras” tem tendência a desaparecer, mas se o comportamento do seu filho se tornar particularmente difícil, pode ser importante procurar perceber se se encontram sobre algum tipo de stress particular, e eventualmente procurar ajuda.

A criança “bebê”

Algumas crianças parecem dizer “prefiro ser pequenino”. Um filho que seja muito agarrado aos pais e cheio de receios de partir à descoberta do mundo pode tornar-se muito exigente, de uma forma diferente daquelas crianças que são “mandonas”.Como pais e educadores, precisamos de saber que, de uma forma geral, o desenvolvimento dos nossos filhos está a decorrer segundo a ordem natural das coisas. Por isso, quando os nossos filhos têm comportamentos “abebézados” isso preocupa-nos pois faz-nos pensar que as coisas estão a andar para trás. É também muito extenuante para os pais por vezes não saberem se afinal têm um bebé ou um menino ou menina já crescidos em casa.Quando sente que, de alguma forma, não está a acertar com as suas escolhas em relação ao seu filho, o mais provável é que o seu filho, também, se esteja a sentir muito confuso.

A criança “amedrontada”

As situações novas podem ser assustadoras. As crianças de dois ou três anos por vezes sentem-se bastantes aflitas com novas situações, especialmente se pensam que isso implica serem deixadas ao cuidado de outras pessoas. Vale a pena ser sincero com o seu filho acerca de situações novas – tal como o nascimento de um irmão ou uma mudança nas suas rotinas habituais – para que não se sinta “enganado” ou demasiado desprevenido. Face a uma mudança importante, dê bastante espaço ao seu filho pequeno para uma dose considerável de birras e fitas, que concerteza passarão com o tempo, especialmente se levar o seu filho a sério nos seus receios e o ajudar a transformá-los, conversando e brincando.Por vezes, aquilo que assusta as crianças pequenas está dentro delas, e não em qualquer mudança importante na realidade que o rodeia. É nesta idade dos dois a três anos que as crianças começam a relatar sonhos maus e por vezes, terrores nocturnos. É importante que saiba que estes sonhos maus fazem parte do desenvolvimento normal de todas as crianças nesta idade. Por vezes, os sonhos estão relacionados com algum evento vivido que os tenha assustado ou preocupado, mas muitas vezes não estão associados a nenhum acontecimento específico, mas sim a “sensações”, de medo ou terror, vividos pela criança. Pode dar-se o caso de não conseguir chegar a perceber o que realmente os preocupa. Mas é muito tranquilizador para a criança pequena, que está a lidar com emoções que muitas vezes não conhece, sentir que um crescido está a tentar compreender o que se passa com elas.

As birras de temperamento

A criança pequena lida com sentimentos muito intensos ao longo de todo o dia. Se está a ser capaz de se manter mais ou menos estável ao longo do dia já está a fazer um óptimo “trabalho”! Mas só é natural que haja alturas em que não consegue sustentar um bom comportamento… por vezes as crianças pequenas parecem “explodir”, gritando e atirando-se ao chão a pontapear. Quando o seu filho se lança numa birra aparentemente caprichosa, está a mostrar-lhe como se sente dentro dele, sentimentos tão intensos que não consegue encontrar uma saída mais pacífica. Provavelmente estão assustados, e zangados, porque a sua raiva parece ser tão avassaladora e poderosa que quase perdem a imagem boa da Mãe e do Pai. Por vezes, significa apenas que atingiram um estado de exaustão ou excitação tal que não conseguem lidar com ele de outra forma.Ao contrário do que se pensa, as birras não são feitas apenas para chamar a atenção. As birras acontecem porque a criança não consegue comunicar de outra forma, muito menos por palavras. Por isso as birras têm tendência para desaparecer com o crescimento, pois as ansiedades do crescimento deixam normalmente de ser tão avassaladoras, mas também porque a criança vai aprendendo a usar palavras para exprimir o que sente.A criança não precisa que encontre uma solução milagrosa nem que o “compre” com guloseimas (embora toda a gente o faça de vez em quando!). Precisam de saber que, mesmo quando se sentem indefesos e desnorteados, alguém os protege de se magoarem, alguém continua a cuidar deles e a amá-los.

Quando devem os pais estar preocupados?

Por vezes os pais sentem que as birras dos seus filhos não são daquele tipo habitual que têm tendência a desaparecer, e que rapidamente se transformam em ataques de raiva muito difíceis de controlar. Por vezes constatam que a criança demora muito em começar a falar, ou que tem dificuldade em brincar e em estar com outras crianças, ou ainda que parece estar sempre agitada, sem conseguir retirar prazer de nenhuma das múltiplas actividades em que se vai envolvendo. Por fim – e isto pode ser o mais doloroso – por vezes os pais podem sentir que se instalou uma espécie de barreira entre si e o seu filho.Se as suas preocupações são desta natureza, é realmente importante procurar ajuda de um especialista. Não é boa ideia ignorar estas situações na secreta esperança que se resolvam sozinhas.

Fonte: http://www.eraumavez.org/site/

terça-feira, 28 de junho de 2011

8 Mitos sobre o parto

Postado por Ssanylu às 20:20 1 comentários Links para esta postagem
A bolsa sempre irá romper antes da mulher entrar em trabalho de parto? Mulheres baixas só devem fazer cesariana? Confira o que é verdade e o que é mentira na hora do bebê nascer

Quando a mulher engravida, passa a se informar sobre os tipos de parto, cuidados com alimentação e como combater os desconfortos que a seguirão nos próximos nove meses. Mas, quando chega a hora H, é comum pintarem outras dúvidas. Por exemplo: a bolsa sempre rompe antes de a mulher entrar em trabalho de parto, como vemos ocorrer frequentemente nas novelas? A resposta é não. Para esclarecer esta e outras dúvidas, conversamos com o médico Pedro Awada, ginecologista e obstetra do Hospital e Maternidade Brasil.

1. Relações sexuais podem acelerar o parto?
“Relação sexual no final da gestação pode estimular sim o início das contrações, mas não é regra”.

2. Se o colo do útero estiver dilatado, a mulher vai entrar em trabalho de parto logo?
“Não existe relação de tempo para começar o trabalho de parto com a dilatação. È verdade que a dilatação só deve existir no final da gestação. Se ocorrer no meio da gestação, leva ao parto prematuro”.

3. A bolsa vai sempre romper antes de a mulher entrar em trabalho de parto?
“Não. A bolsa deve romper só depois de entrar em trabalho de parto, mas às vezes rompe antes do início das contrações”.

4. Se a mulher tomar remédios para indução, entrará em trabalho de parto imediatamente?
“Não, nem sempre os remédios surtem efeito”.

5. Se a mulher tiver o quadril estreito pode inviabilizar o parto normal?
“Não é o tamanho do quadril que vale, mas sim, os diâmetros da parte baixa da pelve”.

6. Mulheres pequenas só devem fazer cesariana?
“Não. A natureza é sábia e gera filhos geralmente proporcionais para cada mãe. Quando faz um feto grande, a cesárea ocorre para qualquer tamanho de mãe”.

7. O médico estará presente durante todo o parto (normal ou cesárea)?
“O médico deve estar presente durante todo o tempo da cesárea e durante o trabalho de parto normal também”.

8. O leite desce logo após o nascimento do bebê?
“O leite só aparece por volta de 48 ou 72h pós-parto. Antes disso, há o colostro e com isso a criança pode perder até 10% do peso ao nascer”.

fonte:http://www.chrisflores.net/portal2/site/materia.php?cod_categoria=1&cod_materia=812

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Novo Positivo!

Postado por Ssanylu às 18:43 0 comentários Links para esta postagem
Parabens a nova gravidinha da MAV!
Thais que este bebe lhe traga muitas alegrias!!!

Mãe, como é que eu nasci?

Postado por Ssanylu às 18:39 0 comentários Links para esta postagem
Falar de sexo com os filhos não precisa ser um bicho de sete cabeças. Confira as dicas de uma psicóloga quando perguntarem como são feitos os bebês

Quem tem filho, sabe. Chega uma hora que eles vão perguntar: "o que é sexo?", "como são feitos os bebês?". O que dizer nessas horas, especialmente se a criança for pequena? “É sempre bom ficar atento, pois crianças pequenas podem perguntar sobre sexo querendo saber sobre a questão do gênero (masculino e feminino). Já vi isso e a mãe tinha dado uma aula imensa de concepção. Foi o maior fora”, conta Rita Calegari, psicóloga do Hospital São Camilo Pompeia.

Caso a criança queira realmente saber sobre o assunto, a psicóloga dá alguns conselhos aos pais. “Recomendo questionar a criança antes de sair falando. O que exatamente ela quer saber? Onde ela viu esse assunto? Foi na TV? Na escola? É bom fazer essas perguntas em um tom amistoso, jamais como se fosse um inquérito, pois pode assustar a criança e inibir futuras perguntas. Responda somente o que a criança quer saber e ponto. Deixe que a criança faça as perguntas conforme tem curiosidade e contenha a vontade de sair ministrando uma palestra”, diz Rita.

De acordo com a psicóloga, geralmente é por volta dos 3 anos que a criança começa a questionar de onde vem os bebês. Mas podem haver situações que podem aguçar a curiosidade, como assistir a uma cena mais picante na TV, ou até mesmo quando a criança faz uma pergunta e os pais acabam desconversando, por vergonha mesmo de tratar o assunto. Veja o que diz a doutora Rita

Aos pais, vale perguntar à criança o que ela já sabe sobre o assunto na hora de especificar uma dúvida?

“É um bom jeito de começar o diálogo. O que os pais não devem esquecer é que não é um assunto resolvido em uma conversa só, pois, conforme a criança cresce, o assunto vai aprofundando e o diálogo se aprimorando com mais informações e, consequentemente, mais perguntas. Dependendo da relação entre pais e filhos, o assunto continua até a idade adulta. Não seria bom ter os pais como referência até quando formos adultos”.

E no caso de a criança ver uma cena de novela mais picante, por exemplo, e perguntar o que eles estão fazendo?

“Eu me pergunto: o que uma criança faz assistindo cena picante? Os pais devem evitar essa situação, pois cenas quentes de sexo podem assustar a criança, até porque, vendo cruamente, são um tanto agressivas... Se a criança viu e perguntou, responda, “fazendo sexo”. Ou “namorando”. Se ela perguntar o que é isso, explique sucintamente. E tome conta direito da sua programação”!

Tem pais que ficam sem graça e acabam desconversando quando a criança faz uma pergunta sobre sexo. Qual deveria ser a forma correta dos pais agirem?

“Com naturalidade. Sexo é biológico, é como dormir, comer e fazer xixi. E tem mais, criança pequena não tem malícia. É o adulto que tem. Então, cuidado para não maliciar e estragar o desenvolvimento natural da criança no assunto. Hoje, acho mais provável ocorrer uma malícia por parte dos pais (nas roupas, danças, expressões, brincadeiras e piadas sexualmente maliciosas ou sexy demais) do que inibição... Acho até mais fácil educar quando os pais são inibidos do que excessivamente maliciosos – o inibido tende a falar o necessário e o malicioso, extrapola”.

FONTE http://www.chrisflores.net/portal2/site/materia.php?cod_categoria=4&cod_materia=834

sábado, 25 de junho de 2011

Postado por Ssanylu às 09:50 0 comentários Links para esta postagem
Parabens Nill pela Chegada da Amandinha

AMANDINHA NASCEU!!!! 24/06 de pato cesário com 4,170 e 52 cm

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Postado por Ssanylu às 18:34 0 comentários Links para esta postagem
A MAV esta em ritimo de festa Junina!!!


http://www.terra.com.br/culinaria/infograficos/comidas-festa-junina/galeria/fotos/4.jpg
Bolo de Macaxeira Caramelado
Ingredientes Bolo
500g de mandioca ralada
100g de manteiga
1 lata de leite condensado
4 cravos
50g de coco ralado
1 ovo

Caramelo
1 kg de açúcar

Modo de Preparo
Caramelo - Em uma frigideira, coloque o açúcar e leve ao fogo baixo, mexendo sempre até dar ponto de caramelo. Coloque em uma assadeira untada com manteiga e reserve.
Bolo - Em um bowl, junte o ovo, o leite condensado e a manteiga, e bata até obter um creme. Acrescente a mandioca, o coco e o cravo. Misture tudo e coloque na assadeira sobre o caramelo. Leve ao forno aquecido a 140ºC por 20 minutos ou ate que esteja asado. Deixe esfriar e mantenha em temperatura ambiente. Não coloque na geladeira para não endurecer.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Postado por Val Rodrigues às 16:05 0 comentários Links para esta postagem

Combate à Pedofilia Criminosa e ao Abuso Sexual Infantil
Pessoal o texto é grande mais necessário!




A menininha tem seis aninhos de idade. É linda (como toda criança), com seus cachinhos castanhos e as covinhas no rosto angelical. Mas aparenta timidez e tristeza, incompatíveis com sua habitual alegria, sempre demonstrada pelo risinho cristalino. Questionada pela mãe, a menininha se cala. Diante da insistência, acaba por falar:

– o tio disse que eu não posso contar a ninguém... 
– contar o quê? 
– nada...

Com muito carinho e, às vezes somente com ajuda profissional, a menininha finalmente revela que o “tio” (geralmente alguém próximo da família) dela abusou sexualmente. A criança se sente amedrontada e até pensa que tudo é culpa dela. Na verdade foi mais uma vítima de um predador sexual ou pedófilo criminoso.


Casos como este, e muito piores que este, infelizmente são muito mais comuns do que pensamos. A apuração é difícil, porque sempre envolvem constrangimento da vítima – que muitas vezes passa toda a vida sem revelar o abuso que sofreu – por vergonha ou por medo das habituais ameaças dos abusadores sexuais. Estima-se que menos de 10% dos abusos sexuais são relatados às autoridades. Hoje em dia a Pedofilia, principalmente na internet, movimento mais dinheiro que o tráfico de drogas (vide revista “Marie Claire”, edição de novembro/2008)


Ao participar das audiências e diligências da CPI da Pedofilia, instaurada em abril de 2008 no Senado Federal, e Presidida pelo Senador Magno Malta, verificamos por todo o Brasil casos gravíssimos de abuso sexual e violência contra a criança.


ALGUNS DOS CASOS 
Em locais onde a pobreza e a falta de instrução imperam é comum vermos crianças vendidas para uso sexual de adultos depravados, mães que levam as filhas (crianças e adolescentes) à prostituição, agenciamento de crianças à partir dos cinco anos de idade para o prazer sexual de pedófilos criminosos, leilão de crianças e virgens em bordéis no interior da Amazônia, estrangeiros que vem ao Brasil para turismo sexual...


O famoso caso de Boa Vista, capital de Roraima, onde estivemos, revelou na televisão o filme feito pela Polícia Federal que mostrou o momento em que uma mulher (agenciadora de crianças) entregava na casa de um pedófilo criminoso duas meninas de seis anos de idade. Uma das meninas levava nas mãos um ursinho de pelúcia, triste marco de sua inocência roubada... O pedófilo foi preso e em seu poder foram apreendidas fotografias mostrando que tal fato era comum: crianças nuas e sendo abusadas por homens. As escutas telefônicas autorizadas pela Justiça mostraram que os criminosos negociavam a “compra” ou “aluguel” de crianças para o abuso, relatavam os atos nojentos que estes praticavam com as meninas, se referiam às virgens de onze anos de idade como “noivinhas”, além de mostrar toda sorte de depravações... A agenciadora foi presa e, em seu depoimento, relatou que também sofrera abuso sexual a partir do seis anos, depois se tornou prostituta e usuária de drogas, finalmente se tornou agenciadora: cafetina de crianças!


Mas este não é um caso isolado! Por todo o país vemos histórias de abuso sexual infantil: como a prostituição infantil nas praias do nordeste, no interior do Pará, em Goiás, no Rio Grande do Sul, nas estradas que cortam todos os Estados. Observamos famílias pobres que vendem suas filhas. Mães que agenciam as próprias filhas e filhos ainda crianças. Estupro de meninas na Paraíba. Etc.


Um dos casos mais horrendos vistos no âmbito da CPI aconteceu no estado do Espírito Santo: Uma menina de dois anos e meio de idade que era constantemente espancada e seviciada pelo próprio pai, uma das predileções do agressor era morder o corpo da filha. A menina foi mandada para um abrigo e o pai processado por tortura, mas fugiu da prisão preventiva decretada. Três meses após o abrigamento da menina, esta foi devolvida a casa. O pai/criminoso, que estava foragido, voltou e, poucos dias depois, matou a filha. Antes de matá-la, mais uma vez a estuprou, espancou, mordeu e terminou por introduzir um pedaço de cabo de vassoura no ânus da menina, causando ruptura e prolapso do intestino, que a levaram ao óbito.


Entretanto, o abuso sexual acontece em todas as classes, credos e níveis intelectuais: há casos em São Paulo de médicos que abusavam de pacientes, líderes religiosos que abusavam de fiéis, Pais-de-santo que usavam de sua posição para manter relação sexual com meninos e meninas, etc.


É notável o recente caso de Catanduva/SP, ainda em investigação. Um borracheiro e seu sobrinho abusaram de quase 50 meninos e meninas, havendo fortes indícios da participação de outras pessoas, inclusive de alto poder aquisitivo e posição social. As crianças sofriam abuso sexual e eram fotografadas e filmadas, além de submetidas a sessões de filmes pornográficos e a “apresentações” do abusador dançando nu. Uma das crianças já examinadas apresenta doença venera. Toda a cidade está traumatizada. Há notícia de que o abusador já preso tenha outros processos, pelo mesmo motivo, em Pernambuco e na cidade de Divisa/MG – locais onde residiu.


Também recentemente, em Alagoinha/PE, uma menina de 9 anos de idade foi submetida a um aborto, uma vez que sofria (há pelo menos 2 anos) abuso sexual por parte de seu padrasto e se encontrava grávida de gêmeos. O mesmo criminoso abusava da irmã mais velha, também criança... etc, e etc.


Em Minas Gerais não é diferente e observamos alguns casos emblemáticos: 
Em Uberlândia o professor universitário que manteve relação sexual com a mãe e a filha de seis anos de idade ao mesmo tempo. A mãe não só permitia e participava, como fotografou tudo! Durante um ano e meio! As fotos e filmes são chocantes. Ambos os criminosos estão condenados e presos. A menina traumatizada pelo resto da vida.


Em Uberaba


Na Comarca de Peçanha um padre aliciava meninos de dez anos e idade e com eles mantinha relação sexual sob ameaça. Em Itapecerica um homem de sessenta anos de idade pagava (com trocados e doces) a duas meninas de cinco e seis anos de idade para realizar sexo oral. Em Campo Belo um empresário recebia menina que era levada pela própria mãe... etc e etc.


Na Comarca de Divinópolis temos casos gravíssimos: 
Um pedófilo criminoso mantinha relação sexual (estupro) com uma menina de seis anos de idade, além disso lhe dava cigarros e bebida alcoólica, filmando e fotografando tudo. O caso foi descoberto através das fotos e filmes esquecidos em uma câmera digital. O criminoso foi condenado. As fotos e filmes são escabrosos, mas uma das fotos – a menos explícita – foi capa da revista “Carta Capital”, quando da abertura da CPI da Pedofilia.


Ainda em Divinópolis temos o caso de um pedófilo criminoso que, durante vários anos, abusou de diversas meninas, suas sobrinhas. Começava a manter relação com uma menina por volta dos oito anos idade e a abandonava por volta dos treze anos. Então passava a abusar de sua irmã ou prima mais nova. O caso só foi descoberto quando uma das meninas, anos depois, já com dezoito anos, resolveu contar tudo. Desacreditada, suicidou. Somente após sua morte é que se descobriu que outras meninas (primas), também haviam sofrido abuso. Foi expedido mandado de prisão contra o abusador, mas ele se encontra foragido.


Além disso a prostituição infanto-juvenil não é mais novidade. Especialmente ligada ao tráfico de drogas: meninas de onze, doze anos de idade se vendem para comprar crack e maconha. Mães trocam filhas e filhos por droga.


Também existem os casos que ocorrem nas classes média e alta, que dificilmente chegam a apuração. Abafados pela própria família. Mais de uma vez fui procurado por pessoas já adultas que relataram abusos na infância e, ao que parece, nada mais queriam que desabafar, oprimidas pelo crime de que foram vítimas.


Em todo o Brasil o abuso sexual infantil não escolhe classe, credo, cor ou situação financeira ou nível de instrução. O abusador é covarde e usa todos os meios para praticar o crime.


INTERNET 
Na internet a situação também é grave. Por todo o mundo têm surgido casos de crimes hediondos praticados através do uso nocivo da rede de computadores. A internet é um excelente instrumento e também é um meio de comunicação como qualquer outro (como a televisão, o rádio, os jornais, etc) e, portanto, pode ser usada para o bem e para o mal.


A maior parte do conteúdo da internet é bom, a rede é indispensável hoje em dia e saber lidar com ela é importantíssimo para a educação de crianças e adolescentes. Além disso, a internet também tem várias páginas que ajudam no combate ao crime e especialmente ao abuso sexual.


Infelizmente pedófilos criminosos viram na rede mundial de computadores uma ótima oportunidade de abordar duas vítimas em relativo anonimato e conseguir seu intento hediondo de abusar das crianças. Mas felizmente já existem técnicas eficazes de encontrar os mais experiente criminosos virtuais, por isso o anonimato da internet é relativo.


Mas cabe principalmente aos pais e responsáveis verificar as páginas e sites acessados por seus filhos, para que estes não sejam vítimas de crimes cibernéticos (entre eles o abuso sexual), assim como devem vigiar por onde seus filhos andam, com quem, fazendo o que... etc.


A CPI da Pedofilia conseguiu uma grande vitória no campo do combate ao abuso sexual na internet: Em maio quebrou o sigilo telemático de 3.261 páginas do Orkut, pertencente à Google. Tais páginas (profiles) apresentavam características de pedofilia e tinham as fotografias “trancadas”. Todas foram examinadas por nós e os casos em que o crime se confirmou (muitos!) estão em andamento no Brasil e no exterior, inclusive contribuíram para a operação Carrossel II, da Polícia Federal.


Foi a primeira vez no Brasil (e na América Latina) que a Google entregou os conteúdos denunciados. Há previsão da entrega do conteúdo de mais 18.000 profiles suspeitos e já foi firmado entre a empresa e o Ministério Público Federal acordo para melhorar (em muito) o combate aos delitos cibernéticos.


As fotos e vídeos obtidos do Orkut e de apreensões em computadores de pedófilos e já entregues à CPI são realmente monstruosas, nojentas e até inimagináveis para uma pessoa de bem. Abusos sexuais e violência de todo o tipo. É muito chocante, até para quem lida diariamente com o assunto, vislumbrar crianças – inclusive bebês recém nascidos!! – sendo estupradas e bolinadas.


Examinar estas fotos e filmes – já que fomos obrigados – nos causou revolta e indignação, além de asco e nojo. Uma das Promotoras de Justiça da CPI foi obrigada a se retirar porque sentiu náuseas e ânsia de vômito.


Por ocasião de nossa visita ao Presidente Lula, em junho de 2008, algumas das fotos e vídeos constantes do acervo da CPI lhe foram mostradas, quando este reagiu indignado, comprometendo-se a colaborar com a causa. De fato o Presidente o tem feito, emprestando sua imagem à campanha “Todos contra a Pedofilia” e dando celeridade às propostas legislativas da CPI: no dia 25 de novembro de 2008, durante a abertura do “III CONGRESSO MUNDIAL DE ENFRENTAMENTO DA EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES”, realizado no Rio de Janeiro, o Presidente da República sancionou a Lei 11.829/2008 (Contra a Pornografia Infantil), proposta pela CPI da Pedofilia.


Também através da CPI ocorreu grande avanço para a repressão aos crimes praticados através da internet (e não somente os ligados à pedofilia...), com a realização do TERMO DE MÚTUA COOPERAÇÃO, firmado com as prestadoras de serviços de telecomunicações, de provimento de acesso à internet e de serviços de conteúdo e interativos na internet (Comitê Gestor da Internet no Brasil, Telemar Norte Leste S/A, Brasil Telecom S/A, TIM Celular S/A). O ajuste, assinado em dezembro de 2008, garante a preservação e fornecimento de dados para investigações relativas à internet, estabelecendo prioridades, prazos e formas de fornecimento de tais informações.


LEGISLAÇÃO 
Contra tais crimes, acima comentados, temos que nos unir. Combater o abuso sexual e os crimes de pedofilia é uma questão vital para nossa sociedade.


A criança e o adolescente são o que há de mais importante neste mundo, depois de Deus. Essa importância é evidente e tem suas bases, não somente em convicções religiosas, morais, éticas ou sociais, mas até mesmo biologicamente é preponderante o instinto de perpetuação da espécie, que gera a necessidade premente de reprodução e proteção da prole, ou seja, dos nossos filhos: de cada criança e cada adolescente. A Lei, como fruto da vontade do povo, no Estado Democrático de Direito – como no Brasil – não poderia estabelecer de forma diferente e por isso mesmo a Constituição Brasileira – nossa mais importante Lei – elegeu como a prioridade das prioridades o direito da criança e do adolescente.


Somente uma vez o termo “absoluta prioridade” foi utilizado na Carta Magna, e o foi no artigo 227 quando estabelece, entre os deveres e objetivos do Estado, juntamente com a sociedade e a família, assegurar a crianças e adolescentes os direitos à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à dignidade e ao respeito, dentre outros. Garantir a observação dos direitos da infância e da adolescência é o único meio seguro e perene de garantir o progresso, a evolução e melhoria de vida para todas as pessoas. É investir no futuro.


Mas afinal, o que é “pedofilia”? 
O termo “pedofilia” é uma palavra formada pelos vocábulos gregos “pedos” (que significa criança ou menino) + “filia”(inclinação, afinidade), que deve ser entendido em suas duas conotações:


No campo da saúde a palavra “pedofilia” é usada para denominar o distúrbio de sexualidade caracterizado por predileção de adultos pela prática de ato sexual com crianças (pessoa que ainda não desenvolveram os caracteres sexuais secundários). Tal distúrbio ou parafilia é também chamado pedosexualidade, e pelo Código Internacional de Doenças da Décima Conferência de Genebra é um transtorno mental (CID-10, F65.4), o que não significa que o acusado seja doente mental ou tenha o desenvolvimento mental incompleto ou retardado.


Existe uma minoria de pedófilos doentes e existem pedófilos criminosos que sabem muito bem o que estão fazendo. 
No campo jurídico a “pedofilia” pode ser definida como o abuso de natureza sexual cometido contra criança, mas atualmente não existe na legislação brasileira tipificação específica de um delito que tenha o nomem juris de “pedofilia”, embora o termo já tenha sido usado em documentos oficiais, v.g.: no artigo 3º do “Acordo de Cooperação entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República do Panamá, no campo da Luta Contra o Crime Organizado”, quando se refere ao intercambio de informações e dados, bem como tomada de “medidas conjuntas com vistas ao combate às seguintes atividades ilícitas”:... “atividades comerciais ilícitas por meios eletrônicos (transferências ilícitas de numerário, invasão de bancos de dados, pedofilia e outros)”; no anexo 1, nº 143, do Decreto 4.229, de 13/05/2002 (DOU 14.05.2002), que dispõe sobre o Programa Nacional de Direitos Humanos - PNDH, quando se refere “Combater a pedofilia em todas as suas formas, inclusive através da internet”; etc.


No Brasil este tipo de ato criminoso vem sendo punido principalmente através dos seguintes dispositivos legais: 
Conforme estabelece o CÓDIGO PENAL: 
· CRIME DE ESTUPRO: que é a relação sexual (vaginal) mediante violência (artigo 213 do Código Penal – pena de 6 a 10 anos de reclusão);


· CRIME DE ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR: que é a prática de outros atos sexuais (por exemplo, sexo oral ou anal) mediante violência (artigo 214 do Código Penal – pena de 6 a 10 anos de reclusão);


· CRIME DE CORRUPÇÃO DE MENORES: que é, de fato, corromper ou facilitar a corrupção – roubando a inocência – de adolescente entre 14 e 18 anos, praticando com ele ato de libidinagem, ou induzindo-a a praticá-lo ou presenciá-lo (artigo 218 do Código Penal – pena de 1 a 4 anos de reclusão);


Todos estes crimes, quando praticados contra criança, têm a pena agravada (artigo 61, II, h, do Código Penal) 
É importante lembrar que, para que o abusador seja processado por estes crimes, é indispensável a manifestação dos pais ou responsáveis pela vítima criança ou adolescente (artigo 225 do Código Penal).


Quando um dos pais ou responsável é o abusador, basta que qualquer pessoa denuncie o delito (artigo 225, §1º, II, do Código Penal).


O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE, por sua vez, também estabelece formas de punição ao abuso sexual. No dia 25 de novembro de 2008, durante a abertura do “III CONGRESSO MUNDIAL DE ENFRENTAMENTO DA EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES”, realizado no Rio de Janeiro, o Presidente da República sancionou a Lei 11.829/2008, proposta pela CPI da Pedofilia, que modificou o ECA, criando novos tipos de crimes para combate à pornografia infantil e ao abuso sexual:


· CRIME DE PRODUÇÃO DE PORNOGRAFIA INFANTIL: é a produção de qualquer forma de pornografia envolvendo criança ou adolescente (artigo 240 do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena de 4 a 8 anos);


Também pratica este crime quem agencia, de qualquer forma, ou participa das cenas de pornografia infantil (artigo 240, §1º, do Estatuto da Criança e do Adolescente);


A pena deste delito é aumentada de 1/3 (um terço) em diversos casos, em que o crime é mais grave (artigo 240, §2º, do Estatuto da Criança e do Adolescente). Vejamos: se o criminoso exerce função pública (professor, médico, etc.), ou se o criminoso se aproveita de relações domésticas (empregado da casa, hóspede, etc.), ou se o criminoso se aproveita de relações com a vítima (pai, mãe, tio, responsável, tutor, curador, empregador, etc.), ou se o criminoso se aproveita de relações com quem tenha autoridade sobre a vítima (pais ou responsáveis), ou se o criminoso pratica o crime com o consentimento de quem tenha autoridade sobre a vítima (pais ou responsáveis).


· CRIME DE VENDA DE PORNOGRAFIA INFANTIL: é o ato de vender ou expor à venda, por qualquer meio (inclusive internet), de foto ou vídeo de pornografia ou sexo explícito envolvendo criança ou adolescente (artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena de 4 a 8 anos). Estima-se que o comércio de pornografia infantil movimenta 3 Bilhões de Dólares por ano, só no Brasil! (fonte: Ver. Marie Claire, novembro/2008);


· CRIME DE DIVULGAÇÃO DE PORNOGRAFIA INFANTIL: é a publicação, troca ou divulgação, por qualquer meio (inclusive internet) de foto ou vídeo de pornografia ou sexo explícito envolvendo criança ou adolescente (artigo 241-A do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena de 3 a 6 anos);


Também pratica este crime quem (artigo 241-A, §1º, do Estatuto da Criança e do Adolescente): assegura os meios de armazenamento das fotos ou vídeos de pornografia infantil, ou seja, a empresa de Internet que guarda a pornografia em seus computadores para a pessoa que quer divulgar; ou que assegura o acesso à internet, por qualquer meio, da pessoa que quer divulgar ou receber pornografia infantil.


Entretanto, os responsáveis pelo acesso à internet somente podem ser culpados pelo crime se não cortarem o acesso à pornografia infantil, após uma denúncia e uma notificação oficial. Assim, em caso de verificação de pornografia infantil na internet, devemos comunicar ao Ministério Público (Promotor de Justiça), à Polícia ou ao Conselho Tutelar, para que seja feita a notificação sobre a pornografia infantil (artigo 241-A, §2º, do Estatuto da Criança e do Adolescente).


· CRIME DE POSSE DE PORNOGRAFIA INFANTIL: é ter em seu poder (no computador, pen-drive, em casa, etc.) foto, vídeo ou qualquer meio de registro contendo pornografia ou sexo explícito envolvendo criança ou adolescente (artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena de 1 a 4 anos);


· CRIME DE PRODUÇÃO DE PORNOGRAFIA INFANTIL SIMULADA (MONTAGEM): é o ato de produzir pornografia simulando a participação de criança ou adolescente, por meio de montagem, adulteração ou modificação de foto, vídeo ou outra forma de representação visual (artigo 241-C do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena de 1 a 3 anos);


· CRIME DE ALICIAMENTO DE CRIANÇA: é o ato de aliciar, assediar, instigar ou constranger a criança (menor de 12 anos de idade), por qualquer meio de comunicação (pessoalmente ao à distância: pelo telefone, internet, etc.), a praticar atos libidinosos, ou seja, passa a ser crime convidar ou “cantar” uma criança para relação libidinosa (sexo, beijos, carícias, etc.). É muito comum esse tipo de assédio pela internet, através de salas de bate-papo (chats) ou programas de relacionamento (MSN, ORKUT, MySpace, etc.) (artigo 241-D do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena de 1 a 3 anos).


Também pratica este crime quem (artigo 241-D, parágrafo único, do Estatuto da Criança e do Adolescente): facilita ou induz a criança a ter acesso a pornografia para estimulá-la a praticar ato libidinosos (sexo), ou seja, mostra pornografia à criança para criar o interesse sexual e depois praticar o ato libidinoso; ou estimula, pede ou constrange a criança a se exibir de forma pornográfica. O caso mais comum é o do criminoso pedófilo que pede a criança para se mostrar nua, semi-nua ou em poses eróticas diante de uma webcam (câmera de internet), ou mesmo pessoalmente.


· CRIME DE PROSTITUIÇÃO INFANTIL: é o ato de submeter criança ou adolescente à exploração sexual (artigo 244-A do Estatuto da Criança e do Adolescente – pena de 4 a 10 anos de reclusão);


O abuso sexual cometido contra criança atinge todos os seus direitos. A criança que é vítima de pedofilia tem evidentemente desrespeitados seus direitos à saúde (uma vez que agredida fisicamente pelo abuso sexual), à vida, à dignidade, ao respeito e à liberdade. A criança que é vítima de pedofilia tem atacada drasticamente sua auto-estima, via de regra se torna depressiva e apresenta seqüelas para toda a vida, tendo atingidos, pois, seus direitos à saúde (também mental), à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização e à cultura. Além disso, as estatísticas mostram que há enorme tendência de que o abusado na infância se torne um abusador na idade adulta.


Por tudo isso, são necessárias medidas mais severas no sentido de colocar as crianças e adolescentes a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, especialmente ligadas à pedofilia.


Um dos objetivos da CPI da Pedofilia é a construção de uma legislação mais eficiente no combate aos crimes sexuais cometidos contra criança. O projeto de lei acima referido, que reformou a parte criminal relativa ao Estatuto da Criança e do Adolescente, criando novos tipos penais (especialmente no relativo à pornografia infantil), foi produzido e apresentado pela CPI em junho/2008, aprovado no Senado e na Câmara Federal, e posteriormente sancionado pelo presidente Lula, em 25 de novembro de 2008, durante o “Congresso Mundial de Enfrentamento da Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes”, que aconteceu no Rio de Janeiro, de 25 a 28 de novembro, como já informado.




A proposta da CPI relativa ao Código Penal será brevemente apresentada ao Senado, além de vários outros projetos relacionados que estão em andamento.


CAMPANHA “TODOS CONTRA A PEDOFILIA” 
Mas a legislação é inútil sem a participação popular na denúncia responsável dos criminosos e na prevenção dos crimes. É preciso que todos estejamos atentos, especialmente pais, professores e aqueles que lidam diretamente com crianças. O combate direto, através dos processos criminais, e a prevenção são também objetivos da CPI e de toda a sociedade.


A CPI lançou a campanha “TODOS CONTRA A PEDOFILIA”, que já realizou eventos em diversas cidades do Brasil e na TV, contando com apoio de diversas personalidades, visando despertar a população para a realidade da situação dos crimes de abuso sexual contra crianças e adolescentes, além de trazer informações sobre o que são e de como prevenir e combater tais crimes.


No dia 17 de novembro de 2008, em Divinópolis/MG, foi realizada grande passeata, com a participação de mais de 5.000 pessoas, da qual participou o Presidente da CPI da Pedofilia (Senador Magno Malta) entre outras autoridades (Prefeitos, Deputados, Vereadores, Promotores de Justiça, Juízes de Direito), escolas, conselhos, etc. No mesmo dia foi feito o lançamento da campanha também em outras cidades de MG e posteriormente realizados diversos eventos em vários outros municípios de todo o Brasil. Muitos outros já estão agendados.


Durante a campanha são feitas palestras de esclarecimento sobre o assunto e distribuídas camisetas, bonés, folders, adesivos, etc,, além da cartilha “ABUSO SEXUAL INFANTO-JUVENIL, algumas informações para os pais ou responsáveis”, organizada e escrita por encomenda da CPI (autores: Promotor Carlos Fortes, Advogada e Mãe Mônica Felicíssimo e Psicopedagoga Neire Araújo) e publicada pelo Senado Federal, para distribuição em todo o Brasil.


Também têm sido realizados shows artísticos em várias cidades do Brasil. O primeiro show “TODOS CONTRA A PEDOFILIA” ocorreu em Vila Velha/ES, e contou com a participação dos artistas Frank Aguiar, Netinho, Gian e Giovani, Cristina Mel, Fernanda Brum, Daniel e Samuel, Rayssa e Ravel, Tempero do Mundo e Rodrigo Maneiro, os quais se apresentaram gratuitamente para mais de 20.000 pessoas, na Praia da Costa. Entre as apresentações houve pronunciamentos de integrantes da CPI da Pedofilia, prestando esclarecimentos sobre o assunto.


Além deles muitas outras celebridades aderiram de modo espontâneo à causa, como por exemplo: o Padre Fábio de Melo, que em seus shows tem falado sobre a necessidade do combate à Pedofilia. O Deputado Estadual de MG e cantor católico Eros Biondini. O cantor Sérgio Reis, o qual realiza trabalho de combate à prostituição infantil junto aos caminhoneiros. Os cantores Cesar Menotti e Fabiano, que apóiam a campanha e disponibilizaram a cartilha em seu site (como também outras personalidades).


A apresentadora Luciana Gimenez realizou dois programas Superpop especiais sobre o combate à Pedofilia (dias 12/12/2008 e 19/03/2009). O apresentador Luiz Carlos Datena diariamente dá destaque aos casos de pedofilia criminosa combatidos e estudados pela CPI. A Rede Globo de Televisão tem dado cobertura aos casos de Pedofilia pelo Brasil, como por exemplo o caso de Catanduva/SP, e há inserções até em novelas, com alusões ao perigo da pedofilia através da internet (v.g. capítulo de sábado, 28 de fevereiro, da novela “Caminho das Índias).


São inúmeras as páginas da internet dedicadas ao combate à Pedofilia, desde a páginawww.todoscontraapedofilia.com.br (alimentada pela CPI) e o www.safernet.org.br, até os excelentes siteshttp://brasilcontraapedofilia.0freehosting.com:80/ e http://brasilcontraapedofilia.wordpress.com:80/, entre outros.


É preciso que o Brasil se conscientize da necessidade de proteger nossas crianças. 

É preciso que todos os direitos da criança e adolescente saiam do papel e venham para a realidade. 

Este é o único caminho para um futuro melhor. 

Carlos José e Silva Fortes 
Promotor de Justiça - Ministério Público de Minas Gerais

domingo, 12 de junho de 2011

Aprenda o que o grávida pode ou não e acabe com as lendas

Postado por Val Rodrigues às 12:41 0 comentários Links para esta postagem
- Grávida pode tomar remédio?
- Como saber se a bolsa se rompeu?
- A gestante pode pintar os cabelos?
- A mulher pode tomar vacinas durante a gravidez?

Durante a gravidez, a futura mamãe fica cheia de dúvidas sobre os próximos nove meses. São tantas as perguntas que, muitas vezes, durante as consultas do pré-natal, algumas deixam de ser formuladas por esquecimento. Costumo recomendar às minhas pacientes que elas anotem tudo num papel e não tenham vergonha: tirem suas anotações de dentro da bolsa e perguntem o que quiser. Quanto mais informação, mas tranqüila a gestante fica.

A seguir, listo as dúvidas mais comuns que surgem sobre a gravidez e com as quais me depara com mais freqüência durante o atendimento clínico diário:

- Grávida pode tomar remédio?Na teoria, ela não deve tomar remédio nenhum, a não ser com indicação médica. Isso porque é preciso pesar o risco-benefício: se a mulher tiver uma infecção grave, que pode provocar um parto prematuro precisará tomar antibiótico. Caso uma inflamação esteja provocando dor, também precisará ser combatida, pois o quadro não faz bem para o nenê. No entanto, cada caso precisa ser avaliado pelo médico que acompanha a gravidez.

- Por que a grávida sente muito sono?Na gravidez há a produção de vários hormônios que interferem no metabolismo e favorecem o desenvolvimento do bebê. Uma das responsáveis pela incontrolável vontade de dormir é a glândula tireóide que modifica sua produção hormonal. É importante que a grávida respeite seus momentos de sono e preguiça. O crescimento do bebê dependerá de muita energia e boas horas de repouso ajudarão na renovação do corpo da mãe.

- Por que acontecem os enjôos?
Existem várias teorias que tentam explicar por que as mulheres enjoam durante a gravidez. Há o fator hormonal, o fator digestivo e até o psicológico, mas um veredicto certo a ciência ainda não deu. Do total de mulheres que enjoam na gravidez, 85% sentem os sintomas nos primeiros três meses, 5% vão sentir no segundo trimestre e 10% no final da gestação. E há aquelas que passam mal durante os nove meses. Para aliviar o incômodo indica-se o consumo de água gelada, chá de gengibre e a ingestão de bolachas salgadas.

- Grávida pode tomar bebida alcoólica? Estudos mostram que o consumo de bebidas alcoólicas é contra-indicado na gestação. Um deles, publicado pela Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, confirma que o álcool está associado à restrição do crescimento do feto, sendo as meninas mais suscetíveis aos seus efeitos deletérios. Nos Estados Unidos, calcula-se que 10% das crianças nascidas com baixo peso foram expostas à bebidas alcoólicas durante a gestação. Já está estabelecido também que o álcool altera o desenvolvimento do bebê na barriga e até mesmo após o nascimento. Por isso, a bebida deve ser evitada ou até cortada do cardápio, principalmente no primeiro trimestre da gestação.

- Quais as massagens mais indicadas para grávidas?A massagem é indicada para diminuir incômodos como a retenção de líquidos e a insônia. Mas é preciso cuidado ao escolher a técnica. As mais indicadas são aquelas que promovem relaxamento, como a biodinâmica, a shantala e a massagem integrativa. Outra modalidade recomendada é a drenagem linfática, que ajuda a diminuir os inchaços. Ela deve ser feita por profissionais especializados em gestantes. Nesse período há cuidados específicos a serem tomados, como só massagear as costas com a mulher de lado ou não fazer movimentos intensos na barriga, já que a parede abdominal está distendida ao máximo.

- A mulher pode tomar vacinas durante a gravidez?A gestação não é o momento mais recomendado para se tomar vacinas, já que muitas delas contêm vírus ou bactérias vivas em pequenas quantidades que poderiam causar efeitos colaterais e até mesmo danos à formação do bebê. A mais recomendada é a antitetânica para a prevenção do tétano no recém-nascido. Essa vacina é composta apenas pela toxina e não pela bactéria, sendo inofensiva ao feto. Existem outras que podem ser usadas sob a orientação médica.

- A gestante pode pintar os cabelos?
A tintura está permitida desde que a grávida respeite uma regra básica: não usar, de maneira alguma, produtos que contenham amônia. Em contato com o couro cabeludo essa substância é absorvida pelo organismo e pode ser tóxica ao feto. O uso de tonalizantes, henna e métodos como as luzes - em que a tintura não encosta no couro - estão liberados após o primeiro trimestre.

- É preciso tomar vitaminas durante a gestação?A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza o uso do ácido fólico antes e durante toda a gestação. Essa vitamina é necessária para prevenir más formações neurológicas no bebê. Após o primeiro trimestre, indica-se a ingestão de suplemento de ferro e cálcio para evitar anemia. As demais vitaminas, como a do tipo C e minerais como o magnésio, também podem ser prescritas quando a dieta alimentar não suprir as necessidades diárias da mãe.

- Grávida com baixo peso pode prejudicar o desenvolvimento do feto? Não há relação entre o baixo peso da mãe e o desenvolvimento do bebê. O que não pode acontecer é a mãe emagrecer durante a gestação porque está de regime. Nessa fase, o organismo concentra suas forças no feto e a mãe pode ficar debilitada se não comer bem.

- Quando o bebê começa a se mexer?Desde os primeiros meses de vida intra-uterina o feto se movimenta. Esse é um sinal de vitalidade. Mas a mãe só vai perceber esses movimentos por volta do quinto mês de gestação. No início, estes movimentos se parecem com uma vibração e depois começam os chutinhos.

- A grávida pode manter relações sexuais? Salvo contra-indicação médica, como nos casos de sangramento, a relação sexual pode e deve ser estimulada entre o casal. E não precisa ter qualquer preocupação com o bebê, ele está muito bem protegido. Como a barriga pode atrapalhar, será necessário testar novas posições.

- Em que casos a grávida deve fazer repouso absoluto?Algumas situações especiais exigem que a gestante permaneça em casa: sangramento vaginal, ruptura alta da bolsa - quando há um pequeno orifício na bolsa provocando um vazamento discreto de líquido e, muitas vezes, no final da gestação. Nas últimas semanas é preciso que a mulher fique mais quietinha porque o excesso de atividades pode levar às contrações.

- É possível fazer ginástica durante a gravidez?
As atividades físicas devem ser realizadas durante toda a gestação, principalmente se a grávida já tinha o hábito de se exercitar. Durante a gestação, as cartilagens ficam cheias de água, gerando inchaços e desequilíbrios que podem provocar quedas. Nesse caso, a ginástica na água é ideal, pois evita que ela caia, se machuque e prejudique o bebê. A hidroginástica melhora o desempenho no parto e alivia os desconfortos causados pelo aumento do peso, como as dores lombares. Os abdominais, no entanto, são desaconselhados. Eles não terão qualquer efeito nos nove meses. A barriga vai crescer de qualquer jeito. O ideal é fazer antes de engravidar, deixando o músculo bem fortalecido.

- Como saber se a hora do parto chegou? Existem três sinais principais que anunciam a hora do bebê nascer. Primeiro são as contrações uterinas. É uma dor que começa nas costas, passa para a frente e depois a mulher sente repuxar para baixo. Além disso, a barriga endurece a cada 10 minutos mais ou menos, no período de 1 hora. O segundo é o rompimento da bolsa. Ou, então, sangramento no nono mês. Isso é sinal de que o útero está se abrindo ou que a placenta está descolando. As três situações devem ser informadas ao obstetra que acompanham a gestante imediatamente.

- É normal sentir contrações meses antes do parto?As contrações podem acontecer durante a gravidez inteira, mas são diferentes daquelas que antecedem o parto. Trata-se apenas de uma manifestação do útero mostrando que o órgão está preparado para o nascimento. Nesse caso, não há dilatação e ela não é rítmica.

- Como saber se a bolsa realmente rompeu? A grande quantidade de líquido morno que escorre pelas pernas e molha a roupa é o sinal mais claro de que a bolsa que envolve o bebê se rompeu. Esse líquido pode ser esbranquiçado ou incolor. Quando a bolsa se rompe, a gestante deve ligar para seu médico e se dirigir ao hospital em, no máximo, seis horas.

Dr. Aléssio Calil Mathias é ginecologista e obstetra, diretor da Clínica Genesis. 

Chá e a Gravidez II

Postado por Val Rodrigues às 12:36 0 comentários Links para esta postagem

Chá durante a gravidez: atenção nunca é demais

As ervas são poderosíssimas, mas devem ser tomadas com precaução e por períodos curtos, sobretudo na gravidez. A gestante pode tomar somente chás leves e que não sejam amargos, como camomila, eucalipto, folha de laranja, alfazema, erva-doce, e bem fraquinhos. O chá de boldo é proibido nos três primeiros meses de gravidez.

A gestante não deve tomar jamais chá de cravo-da-índia e chá de canela, para não causar danos seriíssimos ao feto, sobretudo o chá de canela com erva-doce ou com qualquer outra erva.

Outras plantas nocivas são absinto, abutua, alecrim, algodoeiro, cipó-mil-homens, arruda, espirradeira, losna e várias ervas amargas.

Lembro que provocar aborto com chá traz drásticas conseqüências para o feto e a gestante, e que o aborto é a segunda causa de morte de mulheres jovens. Portanto, não custa O CASAL ter muito cuidado para não gerar um ser humano que, de tão rejeitado, será jogado fora como um estorvo e, o pior, sem ter culpa de nada. Existem vários métodos anticoncepcionais, principalmente o preservativo, que não deve ser visto como um empecilho, mas como uma barreira contra gravidez indesejada e, principalmente, contra doenças sexualmente transmissíveis.

Chá e a Gravidez

Postado por Val Rodrigues às 12:30 0 comentários Links para esta postagem

Segurança para ir e vir, como aliviar
as dores e chá sem erro


você quer saber
Grávida pode andar de moto, bicicleta ou a cavalo?
Você circula de moto pela cidade, não dispensa uma voltinha a cavalo no campo e/ou adora andar de bicicleta na praia? Melhor deixar essas aventuras para depois que o bebê nascer. 'O problema não é a atividade, e sim o risco de queda envolvido nelas', alerta Eduardo Vieira da Motta, obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Ao cair, você aumenta o risco de quebrar a bacia e perder o bebê. No final da gravidez, o acidente pode ser ainda mais sério, pois o útero cheio de sangue piora a hemorragia. Bicicleta, só as fixas, até porque o centro de gravidade muda quando a mulher engravida, aumentando as chances de queda. Se precisar andar a cavalo ou de moto, vá em baixa velocidade, use sempre os equipamentos de segurança e tente proteger a barriga. Lembre-se de que é sempre bom evitar um risco desnecessário. Caso sofra alguma queda, procure o médico imediatamente.

Renata Cristina Campos Gonçalves é nutricionista do Ganep Nutrição Humana
entrevista
CHÁ DE GESTANTE

'Existe chá para todos os tipos de problema, de dor no corpo a enxaqueca. Apesar de ser um santo - e natural - remédio, as grávidas precisam abrir o olho antes de encher as xícaras.'
As grávidas podem tomar qualquer tipo de chá?
Não. Existem mais de cem plantas medicinais que, se consumidas em grande quantidade, podem ser abortivas. Converse com o seu médico para saber mais a respeito. Chás mate e preto também devem ser evitados, principalmente durante as refeições, porque prejudicam a absorção do ferro e são ricos em cafeína - outra substância que, segundo pesquisas divulgadas recentemente, também pode causar aborto.

Até quando deve-se evitar esses tipos de chá?
Claro que uma xícara não faz mal, mas é bom evitá-lo durante toda a gestação, principalmente no primeiro trimestre, quando o risco de um aborto espontâneo é maior.
Quais sabores estão liberados?
A grávida pode tomar chá verde para diminuir o inchaço, de cidreira para enjôos e de hortelã para relaxar e conseguir dormir bem.

5 maneiras de aliviar as dores no corpo
Além do barrigão do último trimestre, dores nas pernas e na lombar são comuns. Veja como aliviá-las
1. Se você trabalha sentada, caminhe pelo escritório a cada meia hora para melhorar a circulação.
2. Se der, use cintas para grávidas. Elas ajudam a suportar o peso e aliviam a pressão nas articulações.
3. Descanse com as pernas para cima, o que também facilita a circulação e causa bem-estar.
4. Para se alongar, sente-se em uma cadeira, estique as pernas e as costas para a frente, arrebitando um pouco o bumbum e inclinando o tronco para a frente.
5. Deite-se no chão e aproxime o bumbum da parede. Apóie as pernas nela e vá esticando aos poucos, com os joelhos ligeiramente virados para fora.
Fontes: Anna Maria Bertini, ginecologista da Unifesp (SP), e Sonia Pardellas, fisioterapeuta (RJ)

© 1 Beto Tchernobilsky, 2 Manoel Marques, 3 Arquivo pessoal
Agradecimento Mammy Gestante (11) 3845-2216

Dicas de maquiagem

Postado por Val Rodrigues às 12:05 0 comentários Links para esta postagem

Maquiagem básica para o dia-a-dia

Ensinarei a fazer uma maquiagem bem básica, para usar no colégio, tomar um sorvete à tarde etc.

Você vai precisar de:

·              Corretivo
·              Blush
·              Sombras: Marrom e Bege
·              Somba iluminadora
·              Rímel transparente
·              Lápis de olho
·              Gloss ou batom de cor clara


Passo a Passo:

1.          Você deverá preparar a sua pele com um hidratante, assim a pele irá absorver e fixar a maquiagem.
2.          Passe o corretivo nas olheiras e onde você acha que é preciso.
3.          Passe a sombra iluminadora entre o nariz e o olho para dar um efeito de afinar o nariz e abrir os olhos.
4.          Passe o blush de preferência sem brilho, aplicando nas têmporas para a região frontal. É importante também retirar o excesso com um leve sopro.
5.          Passe a sombra bege em todo o olho para servir como base. Logo depois, passe a sombra marrom do canto de fora do olho até a metade.
6.          Passe o rímel, de preferência transparente, para a maquiagem não ficar muito forte.
7.          Passe o lápis de olho. Cuidado com o exagero!
8.          Para finalizar um gloss ou batom bem clarinho.



Pronto você estará linda!
O melhor dessa maquiagem é que ela é bem básica, fácil de fazer e fica muito linda.


sexta-feira, 10 de junho de 2011

Postado por Val Rodrigues às 11:59 0 comentários Links para esta postagem

MAMÃES NÃO DEIXEM DE LEVAR SEUS FILHOS.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO....

SP inclui sarampo em campanha de vacinação contra a paralisia infantil...O objetivo é proteger a população infantil contra as duas doenças antes do período de férias.Entre 18 de junho, sábado, e 1º de julho devem ser levadas às salas de vacinação todos os paulistas com até seis anos de idade. As crianças de 0 a 4 anos receberão as duas gotas da vacina Sabin, contra paralisia infantil. Para crianças entre um e seis anos também será oferecida a vacina contra o sarampo. Além disso, haverá atualização de eventuais doses em atraso na caderneta.Por todo o Estado serão mobilizados cerca de 14 mil postos de saúde e 51 mil profissionais, em parceria com as prefeituras. A meta da Secretaria é imunizar 3,17 milhões de crianças, das quais 2,67 milhões contra sarampo e paralisia infantil, e outras 500 mil apenas contra o sarampo. 

Mamães do mês de Junho

Postado por Val Rodrigues às 11:46 0 comentários Links para esta postagem
Kate Parabéns!




                                                  Parabéns Vanessa Fatel

Mediadora do Mês é ?Érika

Postado por Val Rodrigues às 11:36 0 comentários Links para esta postagem


Mais um dia acaba de nascer, sinto meu pequeno corpo, em movimento, 

Saio rastejando, pelo mundo a fora, sem saber ao certo para que vim, o que devo fazer e quem sou. Entre uma rastejada e outra, vou encontrando respostas 
para as minhas perguntas.
quebrar uma casca dura e fina,
 Agora, sei quem sou e para o que vim ! ...
... Agora, tenho asas e posso voar, estou nas alturas e daqui, vejo tudo e todos. Sinto o ar soprar meu rosto, a luz do Sol me iluminar e tocar meu corpo,
MEU NOVO CORPO, parece que renasci.
Começo a voar, cada vez mais alto, bem perto do céu, e avisto as flores, elas me chamam. Vou até lá e descubro que agora sou muito importante para a existência delas.
Eu levo suas sementes para longe, outras terras e com a ajuda do vento e da 
chuva semeio e perpetuo a vida.

Estou tão feliz comigo !  Continuo voando...
Aqui de cima avisto um pequeno lago que reflete a luz do Sol, vou até ele e vejo pela primeira vez meu reflexo na água.
Como sou linda, tenho lindas asas azuis e brancas!
Olhando para mim mesma, começo a ver quem fui e quem sou, hoje! Mudei tanto... Para
muito melhor! Chego à conclusão de que vale a pena ser borboleta!
Continuo voando...voando...voando, cada vez mais alto 
em direção a luz que vem do Sol.

Trecho do poema
De Lagarta à Borboleta de Juliana Gallicchio Valerio


BY ÈRIKA

 

Mamães Amigas Vip Copyright © 2010 Designed by Ipietoon Blogger Template Sponsored by Online Shop Vector by Artshare